5 igrejas imperdíveis em Salvador pela beleza e história

Adivinha que igreja eu sou?

Muda testemunha do viver baiano. Assim se referiu o escritor Jorge Amado à Igreja do Passo, no Alto do Carmo, com sua escadaria ligando as ruas. Erguida a partir de 1736, primeiro ao estilo barroco e depois neoclássico, é por ela que começaremos o passeio por cinco templos cheios de curiosidades em Salvador. A lista inclui ainda a Igreja de São Francisco de Assis, a Catedral Basílica, a Paróquia Nossa Senhora dos Alagados e a Igreja dos Mares.

Em 1962, os 53 degraus entre a Ladeira do Carmo e a Rua do Passo foram o cenário para o filme O Pagador de Promessas, dirigido por Anselmo Duarte. Mais do que a lembrança da Palma de Ouro em Cannes, é possível apreciar a imagem de Santa Bárbara, feita para o longa e que foi doada à igreja, como recordação. A caminho da sacristia, estão à vista uma das câmeras e a cadeira utilizadas pelo diretor.

“Se no filme o padre fecha as portas, aqui elas estão sempre escancaradas”, brinca o padre Valson Santos Sandes, capelão da igreja.

Embora o roteiro trate a igreja na ficção como de Santa Bárbara, ela é mesmo dedicada a Cristo. As imagens e pinturas retratam Jesus ao centro, como uma afirmação ao catolicismo. No teto, a figura do papa São Gregório Magno leva a hóstia consagrada, cercado por anjos.

Quem ainda tem fôlego pode subir mais 61 degraus em direção à Torre, de onde se vê todo o Centro Histórico e uma parte da Cidade Baixa. Dá para fazer um pedido e tocar um dos sinos. “Bata forte”, ensina o padre. “Os sinos são uma forma de comunicação com Deus.” Com a restauração completa, incluindo escoras no chão da igreja, já que ela fica em um terreno de forte declive, o templo reabriu em 2018. Agora, a Igreja do Passo, vista na foto de abertura desta matéria, pode ser apreciada com calma depois de ter passado 19 anos e seis meses fechada.

Do Carmo, desça ao Pelourinho para visitar mais duas: a de São Francisco de Assis e a Catedral Basílica. A Igreja do Largo do Cruzeiro é conhecidíssima por seu estilo barroco ou colonial, seus azulejos portugueses e o ouro que reveste paredes e peças sacras. Mas o frei Pedro Júnior Freitas da Silva, vindo de Campina Grande (PB) e em Salvador há oito meses, destaca ainda as imagens de São Benedito e Santa Efigênia, as primeiras de um total de seis que podem ser vistas nas laterais do templo.

“Os baianos, em sua grande maioria pretos, se sentem muito bem representados por esses santos. É uma espécie de acolhida.”

Paralelos
O frei também aponta a imagem de São Francisco abraçado a Jesus, no alto do altar-mor. Nos anos 30, o artista baiano Pedro Ferreira idealizou o encontro dessas duas figuras, que não foram contemporâneas. Logo na entrada, dois painéis retratam o nascimento, o batismo e a conversão de São Francisco de Assis, também em um paralelo à vida de Cristo. Através da arte, aprendemos mais sobre o homem que, um dia, sonhou em ser um cavaleiro em Assis, mas se converteu para se dedicar aos mais pobres.

Na Catedral Basílica, no vizinho Terreiro de Jesus, tudo que reluz é mesmo ouro. Na revitalização entregue em setembro de 2018 e que durou pouco mais de três anos, foram utilizadas 50 mil folhas de ouro e 5 mil folhas de prata. O altar-mor é em estilo maneirista – uma transição entre o renascimento e o barroco, com uma tendência para a estilização exagerada e um capricho nos detalhes.

É no altar também que estão 18 pinturas que retratam a vida de Cristo e ainda o frontão de jacarandá, vindo de Macau, na China, com seus detalhes de casco de tartaruga e marfim. Uma excentricidade hoje proibida. Aos domingos, às 10h, os fiéis e curiosos podem assistir à missa acompanhada do órgão com seus 1.280 tubos, tocado pelo mestre de capela, o padre Hans Bonisch.

Saindo do Centro Histórico em direção ao Bonfim e a sua famosa Colina Sagrada, vamos nos deter antes: primeiro, na Paróquia Nossa Senhora dos Mares e, a menos de dez minutos de carro dali, na Igreja dos Alagados – lá onde esteve o santo papa João Paulo 2º.

O templo nos Mares tem uma única torre de mais de 50 metros – uma das mais altas da capital. Reconhecida provisoriamente, no ano passado, como Patrimônio Cultural Material do estado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), a igreja é em estilo neogótico, marcado pelos vitrais, rosáceas e colunas altas. Em 2021, também foram comemorados os 150 anos de criação da paróquia, ocasião em que foi entregue, restaurada em suas cores originais, a imagem de Nossa Senhora dos Mares, protetora dos navegantes.

csm Templo dos Mares 4a29912e19
Nossa Senhora dos Mares em seu templo, no bairro do Uruguai (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

O padre Manoel da Paixão Gomes do Prado conta que a atual igreja foi construída após a deterioração da capela que tinha sido erguida no centro do Largo dos Mares, a pedido do capitão-mor Manoel da Costa Araújo, em 1749. Além disso, a antiga capela não comportava mais a quantidade de fiéis. Era preciso uma maior e assim foi feito. Agora, quem precisa de uma reforma é o templo “novo”. Há infiltrações nas paredes, a pintura da fachada está gasta e as partes elétrica e hidráulica devem ser revistas.

A igreja mascote entre as cinco não é menos importante. Foi erguida em apenas três meses e inaugurada em 7 de julho de 1980 pelo papa João Paulo 2º, quando ele esteve em Salvador. Um ano antes, a pedido do então papa, quem veio à capital baiana foi Madre Teresa de Calcutá, mas a igreja ainda não existia. Madre Teresa veio fundar a 1ª casa da Ordem das Missionárias da Caridade, que funciona do outro lado da Rua Luiz Régis Pacheco.

Ao entrar no pequeno templo, de características modernas com fachada em tijolos expostos, vemos a foto de Sua Santidade abraçado a uma garota, que furou a segurança e conseguiu entregar um barquinho ao papa, de presente. A partir da foto, foi feita uma imagem dos dois. À direita do altar, está Nossa Senhora dos Alagados, escultura em barro do artista Manoel Dantas, inspirada nas mulheres dos Alagados que costumavam carregar seus filhos de lado, e o balde de água, na cabeça.

Em dezembro passado, o papa Francisco recebeu uma pequena imagem de Nossa Senhora dos Alagados, dada pelo padre francês Thomas Guist’hau, que ficou à frente da paróquia entre 2017 e 2021. Atrás da imagem de Nossa Senhora, está um grande painel pintado pela belga Sabine de Coune, com referências do bairro, como as antigas palafitas e mais jarros de barro. Após a canonização de João Paulo 2º, foi acrescentado à Paróquia Nossa Senhora dos Alagados o nome do então papa, hoje santo.

Quem esteve por lá no começo deste mês foi o aposentado Benedito Bispo Santos, 90 anos. Veio do médico com a filha, a farmacêutica Crispina Conceição Santos, e aproveitou para ver a igreja de perto. "Meu pai é bastante católico. Não gosta de sair, mas assiste às missas pela TV. Agora, está aqui", diz Crispina. Seu Benedito entrega a doação e se diz satisfeito com a visita: "Há muitos anos não vinha. Gostei."

Igreja do Santíssimo Sacramento do Passo

Endereço: Rua do Passo, 52A, Santo Antônio Além do Carmo

Preço: R$ 5 para conhecer a igreja + R$ 5 para a Torre do Campanário

Dias e horários para visitação: de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, e aos sábados, das 9h às 12h. Domingo não abre.

Missas: sextas-feiras, às 9h30, adoração ao Santíssimo, seguida de missa às 10h

Imperdível: a famosa escadaria, onde foram gravadas cenas d’O Pagador de Promessas (1962); a imagem de Santa Bárbara feita para o longa e doada à igreja; o novo altar-mor, com o baldaquino reforçado com quatro cabos de aço; a Torre do Campanário; o ar da igreja e sua irretocável limpeza.

Igreja e Convento São Francisco de Assis

Endereço: Largo do Cruzeiro de São Francisco, s/n, Pelourinho

Preço: R$ 5 (restrito à igreja, pois o claustro está sendo restaurado)

Dias e horários para visitação: de domingo a domingo, das 9h às 17h.

Missas: às terças-feiras, são realizadas missas às 8h e às 17h em devoção a Santo Antônio.

Imperdível: os azulejos que retratam o nascimento, batismo e conversão de São Francisco à Igreja Católica; as imagens pretas de São Benedito e Santa Efigênia; o São Francisco aos pés de Jesus, no altar-mor (os dois não foram contemporâneos, e a arte deu um jeitinho de reuni-los).

Catedral Basílica de Salvador

Endereço: Largo do Terreiro de Jesus, s/n, Pelourinho

Preço: R$ 5

Dias e horários para visitação: de segunda a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 11h30 às 17h.

Missas: quinta-feira e sábado, às 8h30. Domingo, às 10h (com o órgão de tubo). Confissões: quinta, às 10h, e sábado, às 9h.

Imperdível: as 50 mil folhas de ouro que recobrem boa parte do templo; o órgão de tubo; e o frontão de 300 anos do altar-mor, em jacarandá, revestido com casco de tartaruga e marfim (hoje em dia, proibidos).

Paróquia Nossa Senhora dos Mares

Endereço: Largo dos Mares, s/n

Preço: de graça

Dias e horários para visitação: de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h; aos sábados, das 8h às 12h. Entrada pela lateral.

Missas: às terças, quintas e sextas, às 7h; e aos domingos, às 6h e 7h30.

Imperdível: os vitrais e rosáceas ao alto, típicos do estilo neogótico; as colunas altas; a torre da igreja, de 50 metros de altura; a imagem de Nossa Senhora dos Mares, no altar-mor, restaurada por ocasião dos 150 anos de criação da paróquia, em 2021; e os seis anjos esculpidos no teto da igreja, com o símbolo do I Congresso Eucarístico, realizado nos anos 30 do século 20.

Paróquia Nossa Senhora dos Alagados e São João Paulo II

Endereço: Rua Luiz Régis Pacheco, n 1.618, Uruguai

Preço: de graça

Dias e horários para visitação: é preciso agendar pelo telefone 4124-0912

Missas: quinta, às 19h; sexta, às 7h; sábado, às 8h; e domingo, às 7h e 9h

Imperdível: a imagem de Nossa Senhora dos Alagados, com o pote na cabeça, esculpida em barro pelo artista Manoel Dantas e inspirada nas mulheres da comunidade; atrás da imagem, uma pintura da artista belga Sabine de Coune, retratando os Alagados de antigamente; uma imagem do papa João Paulo II, abraçado a uma menina baiana que conseguiu chegar perto do papa; essa imagem foi inspirada numa fotografia do momento em que os dois se abraçam.

O Aniversário de Salvador é um projeto do Jornal Correio com patrocínio do Hospital Cárdio Pulmonar, Wilson Sons, Salvador Bahia Airport e Unifacs, apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador, FIEB e Sebrae, apoio de Suzano, Abaeté Aviação, Sotero, Shopping Center Lapa, Jotagê, AJL, Comdados.

Fonte: Correio 24hs

comprar biblias

markadapaz