Festival Zona Mundi ocupa o Vila Velha e o Passeio Público

Ronei Jorge, Cronista do Morro, Lívia Nery e duo Ziminio estão entre as atrações do Zona Mundi

O Festival Zona Mundi vai ocupar o palco do Teatro Vila Velha com oito shows e intervenções artísticas no Passeio Público, entre os dias 24 e 27 de março. A curadoria aposta na efervescência da cena musical da Bahia, com atrações que vão do rap ao eletrônico, passando por pagodão, jazz e nova MPB. Os ingressos para os shows, que começam às 20h, estão disponíveis no Sympla e custam R$ 60 | R$ 30.

Na abertura, na quinta (24), o festival recebe os shows do guitarrista Jotaerre e da cantora Cronista do Morro, nomes que estão despontando no cenário loal. Jotaerre traz a guitarra como protagonista do pagodão baiano, misturando seu suingue às batidas eletrônicas, em sintonia com o rock, o trap, o raggae e o dub. Já Cronista do Morro, destaque hip hop baiano, encontra na rima o caminho para falar sobre suas vivências como uma mulher preta, periférica, lésbica, que se confronta cotidianamente com a violência, precariedade e conflitos sociais.

O segundo dia do festival, na sexta (25), traz o show do quarteto instrumental baiano Bagum, que apresenta uma fusão de jazz, funk, ritmos brasileiros, beat e rock instrumental. Já a cantora e compositora soteropolitana Livia Nery, que se apresenta acompanhada pela mesma Bagum, traz o repertório de Estranha Melodia, seu disco de estreia, que navega pela música contemporânea, eletrônica, jazz e música brasileira.

O sábado (26) contará com show do cantor Ronei Jorge, que traz em seu repertório músicas do seu segundo álbum solo Irmã (2021), produzido por Lívia Nery e Andrea Martins, e um retorno ao repertório da banda Ladrões de Bicicleta, além de músicas do seu primeiro disco solo Entrevista. Um dos destaques do festival será a apresentação da banda carioca Bala Desejo, quarteto formado por Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra, que estreia o repertório do recém-lançado disco SIM SIM SIM, que propõe um “Recarnaval” em repertório autoral e inédito.

Na noite de encerramento, domingo (27), o duo Ziminino, formado por Rafa Dias e Ricô Santana (também componentes de ÀTTØØXXÁ e OQuadro, respectivamente), explora as relações entre diferentes culturas e povos espalhados pela diáspora africana, unindo as raízes afro-brasileiras ao hip hop, o funk carioca, o violão musical da MPB, musica eletrônica, afropop e rock. Hiran encerra a noite trazendo para o palco o repertório de seus dois discos – Tem Mana no Rap (2018) e Galinheiro (2020) -, em que o rap flerta com ritmos como o country, o pop e o jazz.

Em todas as noites, antes e após os shows, o VJ Gabiru realiza video mapping usando o Passeio Público como tela para suas projeções. “Buscamos criar um espaço de convivência no Passeio Público, jogando luz através das artes, para chamar atenção para que as pessoas ocupem. É dever da população se apropriar destes espaços públicos. E nada como ter o suporte do Teatro Vila Velha, que tem dinamizado há anos o local”, explica Vince Athayde, diretor e curador do festival. O 8º Festival Zona Mundi tem patrocínio da Oi, através do Oi Futuro, e do Governo da Bahia, através do FazCultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria da Cultura.

SERVIÇO: 8º Festival Zona Mundi | De 24 a 27 de março de 2022, 20h, no Teatro Vila Velha | Ingressos: R$ 60/R$ 30 | Vendas: no Sympla | Atrações: 24/3 Jotaerre e Cronista do Morro / 25/0 Bagum e Lívia Nery / 26/3 Ronei Jorge e Bala Desejo / 27/3 Ziminino e Hiran

Fonte: Correio 24hs

comprar biblias

markadapaz