Programa auxilia no combate e tratamento da tuberculose em Salvador

Nesta quinta-feira (24) é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Para contribuir no tratamento da doença, Salvador conta com o Programa Municipal de Combate à Tuberculose (PMCT), desenvolvido pela Coordenadoria de Atenção e Promoção à Saúde (Coaps), vinculada à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A iniciativa está implantada em 140 Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. Nesses postos são distribuídos medicamentos para o tratamento, além de oferecer testes rápidos de baciloscopia e cultura para o diagnóstico da doença. Também são oferecidos testes rápidos anti-HIV e consultas com profissionais capacitados para acolher pessoas com a doença. Um dos exames mais importantes para diagnóstico da doença no Brasil, a Prova Tuberculínica (PT), pode ser feito na UBS Ramiro de Azevedo, no bairro de Nazaré, e na UBS Cosme de Farias, no final de linha do bairro homônimo. O programa também dispõe de exames radiológicos, disponibilizados em unidades de saúde de referência, como UPAs, Multicentros e Hospital Municipal de Salvador (HMS). Além disso, é realizada uma série de ações que visam à sensibilização, prevenção e a busca ativa de sintomáticos respiratórios como estratégia de controle. "Nesse sentido, ações que visam a atingir esse objetivo são incentivadas durante todo o ano e constantemente os profissionais realizam atividades intra e extra muros para alertar a população sobre a importância de procurar os serviços de saúde ao identificarem os principais sinais e sintomas", destaca a técnica do Campo Temático da Tuberculose na SMS, Heloísa Lima. A tuberculose é uma doença pulmonar crônica infecciosa, cuja transmissão se dá por via aérea. Seus principais sintomas são tosse por mais de três semanas, febre, perda de apetite e emagrecimento. O tratamento é feito por antibióticos e dura em média de seis a 24 meses, a depender do estágio da doença, com acompanhamento realizado na própria unidade de saúde onde foi feito o diagnóstico. Nos casos positivos, os familiares também devem passar por exames. O médico pneumologista da SMS, Afonso Roberto Batista, ressalta a importância do teste diagnóstico ser detectado o mais rápido possível. "Constatando o diagnóstico cedo, a hipótese de cura é de 90%. Precisamos lembrar à população de que é uma doença contagiosa e, sendo diagnosticada e iniciando o tratamento, evitará ainda mais a contaminação da doença", ressaltou. O pneumologista ainda lembra que, após iniciado deve-se aguardar toda a conclusão do tratamento. "Diversas pessoas morrem anualmente devido à doença. Todo o tratamento deve ser iniciado e concluído seguindo todo o cronograma de tratamento e exames que serão passados pelo médico acompanhante", orientou. De acordo com a prefeitura, em 2021, o sistema municipal de notificação de agravos registrou 1.502 casos novos de tuberculose de todas as formas de residentes em Salvador, correspondendo a um coeficiente de incidência de 51,8 por 100 mil habitantes para o município. Neste ano de 2022, até o último dia 15, foram registrados 167 novos casos de tuberculose. Dados preliminares de 2021 do Ministério da Saúde apontam que a Bahia ocupou o 5º lugar entre os estados em número de casos novos, e Salvador a 5ª posição entre as capitais. A ocorrência de casos novos de tuberculose, segundo os dados do município, é variável entre os bairros, concentrando-se em maior número nos Distritos Sanitários Cabula/Beirú, Subúrbio Ferroviário e São Caetano/Valéria. Entretanto, os distritos com mais risco de ocorrência de tuberculose são os de Itapagipe, Centro Histórico e Cabula/Beirú, como observado em 2021. O Dia Mundial de Controle da Tuberculose foi criado em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch. A tuberculose é uma doença infectocontagiosa, causada pelo bacilo M. tuberculosis, que acomete os pulmões em aproximadamente 85% dos casos, mas atinge também outros órgãos do corpo. A transmissão ocorre através do ar, por meio da fala, tosse ou espirros. Todos os indivíduos são susceptíveis, entretanto existem pessoas consideradas mais vulneráveis, dentre elas a população em situação de rua, pessoas vivendo com HIV/Aids, pessoas privadas de liberdade e a população indígena. Crianças e idosos possuem um risco aumentado devido a questões relacionadas à competência do sistema imunológico. Recentemente descobriu-se uma relação entre ocorrência de tuberculose, diabetes e tabagismo.Fonte: Bahia Notícias

comprar biblias

markadapaz