Roteiro de sexo para todos os gostos, sexualidades e bolsos em Salvador

volupia antonelloveneri

Tão importante quanto Deus no coração é o diabo no quadril, já adianta o clássico do Carnaval soteropolitano. E Nizan Guanaes tinha razão ao escrever a música. Afinal, na cidade famosa por ter, dizem, uma igreja para cada dia do ano, basta um pouco de atenção que logo se verá um estabelecimento com letreiro neon denunciando que Salvador também é a capital da safadiagem.

Desde o início do século passado, quando as ‘mulheres da vida’ se anunciavam nas varandas de casarões do Centro, fazendo mães taparem os olhos curiosos de seus filhos, até os dias atuais, com as meretrizes desfilando pela orla, há estabelecimentos adultos para todos os gostos, gêneros, sexualidades e bolsos.

Veja o especial de aniversário Rota Salvador 473

Há rua dos motéis, saunas, cinema pornô, casas de swing e muito mais no lado B de Salvador. Isso para quem deseja algo em local fechado. Para os mais exibidos, também há points conhecidos de pegação em lugares públicos e até ao ar livre – um risco para quem for pego, afinal, pode dar até polícia.

Para ajudar os soteropolitanos assanhadinhos, elaboramos uma ‘Rota da Volúpia’, que pode ser explorada em dias diferentes ou até combinando destinos na mesma noite – como dar uma paradinha num lugar pouco movimentado e começar as preliminares antes de ir, por exemplo, a uma casa de swing.

Motéis da Pinto de Aguiar
Manoel Pinto de Aguiar foi secretário de Finanças de Salvador e diretor econômico da Eletrobras, dentre outros cargos. Mesmo assim, nem ele seria capaz de calcular a quantidade de transas, traições e programas consumados nos motéis na avenida que leva seu nome.

Por ser em uma região mais afastada do centro, a Avenida Pinto de Aguiar se tornou a Meca dos motéis de Salvador. São quatro em sequência: Kamasutra, Decameron, Hollywood e Dom. O preço e a qualidade dos quatro são bastante similares, deixando a preferência para o cliente. Detalhe: essa sequência inteira fica em frente à Universidade Católica, deixando ainda mais clara a mistura soteropolitana.

Rancho
Ainda próximo à Pinto de Aguiar, que aparecerá outra vez por aqui, está o Rancho. Este prostíbulo fica em uma rua mais isolada e tem o grande diferencial de ter a entrada gratuita. Lá dentro há um bar, garotas seminuas desfilando tentando angariar clientes e, em alguns dias, até um churrasco, pelo qual também não é cobrada taxa extra.

In Off
“Aqui tudo é permitido, mas nada é obrigado”, anuncia a atendente ao recepcionar a equipe do CORREIO que esteve em um dos mais tradicionais clubes de swing de Salvador. Localizado próximo à Pinto de Aguiar, no bairro de Patamares, o point recebe tanto casais quanto homens e mulheres solteiras, com preço diferenciado para cada perfil de cliente. Às sextas, o valor é R$ 30 mulher solteira; R$ 80 casal; e R$ 200 homem solteiro.

Lá dentro, o ambiente é mais normal do que parece – ao menos na área onde há uma boate e o bar. Inclusive, o preço das bebidas não é exorbitante, com uma caipirinha custando R$ 15 e cervejas long neck vendidas a partir de R$ 10, quando lá estivemos.

O lugar abre às 21h, mas o clima só esquenta por volta de meia-noite, quando começam as apresentações interativas de strip tease tanto de homem quanto de mulher. Após os shows, os casais e solteiros se dirigem à área da casa onde funcionam os quartos.

Há dois tipos: os privados, que possuem porta e custam R$ 70, e os coletivos, que são abertos e podem ser frequentados por qualquer pessoa. Também há espaços temáticos, sala de vídeo onde são exibidos filmes pornôs e cabines de ‘glory hole’.

Além de casais transando, é comum ver homens, principalmente, se masturbando enquanto observam o vuco-vuco alheio. Mas tudo é feito em comum acordo: os “voyeurs”, como são chamados, geralmente pedem autorização antes de contemplarem as outras pessoas nos momentos íntimos.

Sauna Olympus
Uma das mais tradicionais saunas de Salvador, a Olympus funciona no Dois de Julho, e tem um ambiente muito parecido à In Off, mas voltado ao público gay. Mulheres são impedidas de entrar, por exemplo.

Lá o clima é como o de um bar tradicional, com boa parte dos frequentadores acima dos 40 anos. A única diferença é que homens circulam de toalha e, em alguns casos, nus. Há suítes para quem quiser os serviços de alguns dos boys da casa, um quarto coletivo, uma sala de vídeo e, obviamente, uma sauna.

Em alguns dias também há apresentações de sexo ao vivo e é comum encontrar os mais animadinhos transando nas paredes e quartos do ambiente.

Cine Tupy
Salvador tem apenas dois cinemas de rua: o Glauber Rocha e o Tupy. Ao lado de uma igreja evangélica, o Tupy funciona no Aquidabã diariamente, transmitindo filmes adultos. Curiosamente, apesar de sua programação incluir, em sua maioria, cenas heterossexuais, a maior parte do público é formada por homens LGBTs. O cheiro de mofo e secreções prevalece lá dentro. Por ser escuro, é importante ter cuidado por onde anda, para não esbarrar em alguém ou algo estranho.

É comum encontrar garotos de programas lá dentro. A reportagem observou que uma das pessoas cobrava R$ 5 por sexo oral. Uma fila chegou a se formar para o serviço.

Por sua conta e risco
A partir de agora, a coisa fica um pouco mais complicada, porque são relatos de locais onde o sexo rola solto, e que, em alguns casos, podem gerar problemas indesejados com a lei.

Um dos relatos diz respeito ao famoso “banheirão”, que são encontros com ‘envolvimento’ em banheiros públicos. Segundo fontes ouvidas pela reportagem, há muitos locais famosos por isso na cidade, como o banheiro de uma estação de ônibus no Centro e até alguns shoppings.

Uma estação de metrô pouco movimentada, na Avenida Paralela, também costuma ser bastante utilizada, e é inclusive elogiada pelo conforto e segurança.

Outro local diferentão, em que algumas pessoas costumam marcar encontros, é uma área da região do Jardim dos Namorados, próximo à praia. À noite e com pedras para tapar a visão, é possível garantir um certo nível de privacidade, afirmam. Frequentadores diurnos relatam que é comum encontrar camisinhas jogadas ao passar por esses lugares.

Outro point de pegação noturna, conforme as fontes envolvidas, é uma área mais isolada de um supermercado na Avenida ACM. “Até alguns seguranças da loja buscam se aliviar depois de um dia duro de trabalho”, conta um rapaz, que costuma encontrar alguns desses trabalhadores por ali mesmo.

*O Aniversário de Salvador é um projeto do Jornal Correio com patrocínio do Hospital Cárdio Pulmonar, Wilson Sons, Salvador Bahia Airport e Unifacs, apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador, FIEB e Sebrae, apoio de Suzano, Abaeté Aviação, Sotero, Shopping Center Lapa, Jotagê, AJL, Comdados.

Fonte: Correio 24hs

comprar biblias

markadapaz